quarta-feira, 7 de setembro de 2016

7 de setembro - Independência ou morte.

Independência do Brasil é um processo que se estende de 1821 a 1825 e coloca em violenta oposição o Reino do Brasil e o Reino de Portugal, dentro do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. As Cortes Gerais e Extraordinárias da Nação Portuguesa, instaladas em1820, como uma consequência da Revolução Liberal do Porto, tomam decisões, a partir de 1821, que tinham como objetivo reduzir novamente o Brasil ao seu antigo estatuto colonial.

Se você procurar no Google sobre o sete de setembro vai achar um texto no Wikipédia que começa assim. Isso com uma foto ao lado daquela gravura onde Dom Pedro I está em seu cavalo rodeado de bravos soldados, com a espada pra cima. Tem professor de história por aí que diz que, na verdade, ele estaria sentado num vaso sanitário quando deu o famoso grito de independência do Brasil. A imagem teria sido feita com alguns detalhezinhos modificados para dar mais pompa à situação.

Eu poderia dar uma de Chicó no filme Auto da Compadecida e dizer "Não sei, só sei que foi assim". Mas eu não estava lá para ver. Seja lá o que for (ou o que foi), o que é que significa o Dia da Independência para nós? Uma gravura com um bravo monarca nos libertando de amarras opressoras com um nobre gesto? O que representa esse orgulho nos desfiles país afora? A gente conhece nossa história o suficiente para saber o que foi nossa "independência"?

Lendo a página do próprio Wikipédia um pouco mais, a gente pode descobrir que em 29 de agosto de 1825, o Brasil foi reconhecido como país independente, após nossa pátria amada e idolatrada se comprometer a pagar uma generosa indenização para Portugal e para a Inglaterra. Nossa independência veio por uma negociação para encher as potências de nossas riquezas ainda mais do que já estavam. Sabe por que é importante sabermos disso?

Comparando com os dias de hoje, anularam o resultado de nossas eleições ao derrubarem Dilma da presidência para colocar um senhor que não aceita que a metade do Brasil indignada com um impeachment tão ridículo quanto os motivos que usaram para leva-lo a cabo. Conheçam os filhos do Brasil, que não fogem a luta, que Michel Temer foi liberado para fazer as mesmas pedaladas fiscais usadas como pretexto para derrubar a presidenta.

Negociaram entre os derrotados inconformados das eleições de 2014 o posto mais alto da nação e agora ameaçam, abertamente, quem não se conformar com tudo caladinho de apanhar da polícia até perder um olho, como aconteceu com a manifestante pró-Dilma em São Paulo. A repressão lhe bateu tão forte, que ela perdeu a visão de um olho e o coronel da PM que estava à frente da tropa disse que o que aconteceu com a moça foi merecido - ela "colheu o que plantou", nas palavras do PM.

Isso aconteceu no último dia 31 de agosto em São Paulo, o mesmo estado onde se situava o riacho Ipiranga, aonde Dom Pedro teria proclamado a independência. Viramos um país para chegarmos a isso?

Bom, eu me chamo Léo Oliveira, sou candidato a vereador de Vitória da Conquista, meu número é 13789. Eu proponho que fortaleçamos o ensino de nossa história, de ontem e de hoje, nas escolas de nossa cidade. Se alguém consegue refletir sobre a situação do país com um textinho resumido da internet, imagina o que nossas crianças poderão fazer se conseguirem compreender como chegamos ao que somos hoje!

Proponho, portanto, que nossas independências sejam feitas com a luta do nosso povo, e não com negociatas de poderosos a portas fechadas empurradas goela abaixo sem levar em conta a opinião de todos. Lutemos, pois, com as ideias resultantes do conhecimento de nossa própria história.

Léo Oliveira
Postar um comentário