quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

CENTRO DA GALÁXIA

Boa leitura para todos!

CONSIDERAÇÃO INICIAL

Nas mensagens transmitidas, muitas expressões têm sido utilizadas por intervenientes de outros planos dimensionais, que poderão dar origem a alguma confusão.


Nomeadamente as que citam pontos de referência astronômicos, tais como:
- Centro da galáxia.
- Onda Galáctica (alinhamento do Sistema Solar com o Centro Galáctico).
- Sol Central, Sol Central da Galáxia, Sol Central das Galáxias ou Alcyone (muita confusão, neste ponto).


- Vegalianos, ou “Anjos do Senhor”.
- Arcturianos.
- Orionis.
- Saudação de Órion.
etc.

Com base nos conhecimentos científicos/astronômicos disponíveis atualmente, vamos pegar algumas explicações básicas, procurando aclarar o assunto.
Os resultados desta pesquisa, e muito mais, poderão ser alcançados por qualquer um com um pouco de paciência, utilizando os vastos recursos da Internet.
Não entraremos no conceito de Universo Local que, para quem desejar, poderá ser abordado pelo lado da ciência atual, como também por obras não científicas, tais como “O Livro de Urântia” (esta obra utiliza uma terminologia totalmente diferente daquela a que estamos acostumados).
Então, o que está a seguir é uma abordagem simples, começando pela nossa galáxia e nos aproximando até à “região” do nosso sistema solar.


CENTRO DA GALÁXIA





Fig. 2 – Um feixe de raios Laser para o Centro da Galáxia.


(crédito da imagem: NASA – APOD, em http://apod.nasa.gov/apod/ap100906.html)

Como centro da galáxia, se define uma região do espaço com aproximadamente 300 anos-luz de raio, localizada na parte mais densa da nossa galáxia, a Galáxia Via Láctea.
------------------------------

“Via Láctea”, na Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Via_L%C3%A1ctea)
Resumo:
A Galáxia Via Láctea, comumente referida como a Via Láctea e em Portugal também como Estrada de Santiago, é uma galáxia espiral onde se encontra o Sistema Solar.

É uma estrutura constituída por cerca de duzentos bilhões de estrelas e tem uma massa de cerca de um trilhão e 750 bilhões de massas solares.
Sua idade está calculada na faixa de quatorze bilhões de anos.
------------------------------


“Centro da Galáxia”, em UFRGS (http://astro.if.ufrgs.br/vialac/centro.htm)
Resumo:
O centro da galáxia fica na direção da constelação de Sagitário, numa região de alta concentração de material interestelar que impede a sua visualização a olho nu ou usando detectores ópticos.


A melhor maneira de estudar o bojo central é usando comprimentos de onda mais longos, como infravermelho e rádio, que atravessam mais livremente a poeira e o gás do disco.


Observações em rádio indicam que no centro da Galáxia existe um anel molecular envolvendo uma fonte brilhante de rádio, Sagitário A, que marca o centro.


Estudos no infravermelho indicam a existência de um grande aglomerado estelar com uma densidade de estrelas um milhão de vezes maior do que nas proximidades do Sol. O movimento do gás e das estrelas no núcleo indica que ali existe um objeto compacto, provavelmente um buraco negro com massa de 4,3 milhões de massas solares.
------------------------------





Fig. 3 – Grandes observatórios exploram o centro da galáxia.


(crédito da imagem: NASA – APOD, em http://apod.nasa.gov/apod/ap091111.html)


Explicação da imagem:

Para comemoração do Ano Astronômico internacional (2009), a NASA publicou esta imagem, com a maior gama de cores e grau de detalhes já obtida.

A imagem foi gerada por combinação de imagens de vários sensores:

- Telescópio Espacial Hubble: luz do infravermelho próximo.

- Telescópio Espacial Spitzer: luz infravermelha.

- Observatório Chandra de Raios X: luz da gama dos raios X.
------------------------------

Resumidamente, podemos dizer que no centro da galáxia não existe “um” sol ou “uma” estrela, mas um imenso aglomerado de massa (muitíssimas estrelas), radiação de todos os tipos e, principalmente, um buraco negro.

POSIÇÃO DO SISTEMA SOLAR NA GALÁXIA -
- BRAÇO DE ÓRION

Na Via Láctea (e em outras galáxias), pelo movimento de rotação da galáxia em torno do seu centro, ocorreu uma concentração da matéria em braços espirais.
O sistema solar se localiza num desses braços (melhor: num sub-braço), chamado Braço de Órion.
O Braço de Órion fica situado entre o Braço de Sagitário (interno) e o Braço de Perseu (externo).

Referências dos intervenientes, relacionadas com Órion:

- O próprio nome do interveniente Orionis que, no latim clássico, significa literalmente “aquele que é de Órion”.

- A “saudação de Órion”.





Fig. 4 – Ilustração da visão artística da Via Láctea, “vista de cima”.

(crédito da imagem original: “An Atlas of the Universe”, em http://www.atlasoftheuniverse.com/milkyway.html)

------------------------------

“Braço de Órion”, na Wikipédia(http://pt.wikipedia.org/wiki/Bra%C3%A7o_de_%C3%93rion)

Resumo:

O Braço de Órion ou Braço Local é um braço espiral menor, da Via Láctea.

O Sistema Solar, assim como quase todas as estrelas vistas a olho nu, estão dentro do Braço de Órion.

Está localizado entre o Braço de Sagitário e o Braço de Perseus, dois dos quatro maiores braços espirais da Via Láctea.

Dentro do Braço de Órion, o Sistema Solar e a Terra estão localizados perto da borda interior na Bolha Local, a aproximadamente 26.000 anos-luz do centro galáctico.
------------------------------



ESTRELAS LOCALIZADAS NUMA REGIÃO DE ATÉ 500 ANOS-LUZ EM VOLTA DO SOL

Este seria um limite razoável (raio de 500 anos-luz em volta do Sol) para estabelecer a nossa região no espaço, correspondendo, ainda assim, a um setor muito pequeno dentro do Braço de Órion.

Nas canalizações ou mensagens recebidas pelos diversos intervenientes, as principais referências a estrelas são as seguintes, todas neste setor:

- Alcyone, no aglomerado das Plêiades.
- Sírius.
- Arcturus (referência aos arcturianos).
- Vega (referência aos vegalianos, ou “Anjos do Senhor”).

São relacionados a seguir os principais dados destas estrelas e apresentada uma imagem do céu com a posição relativa entre elas.

ESTRELA ALCYONE


O nosso sistema solar gira em torno da estrela Alcyone, num período de 26.000 anos.


Alcyone tem à sua volta um gigantesco disco de radiação, que foi denominado Cinturão de Fótons, no qual o sistema solar está entrando agora.

“Alcyone”, na Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Alcyone_(estrela))
Resumo:


Eta Tauri conhecida como Alcyone é a estrela mais brilhante do aglomerado aberto das Plêiades (M45), na Constelação do Touro.

Está a 425 anos-luz da Terra
Alcyone é um sistema quádruplo composto de:
- Alcyone A: estrela gigante azul.

- Alcyone B e Alcyone C: são Anãs Brancas e formam um sistema duplo.
- Alcyone D: orbita Alcyone A.
ESTRELA SÍRIUS

“Sírius”, na Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Sirius)
Resumo:
Sírius (Alpha Canis Majoris) é a estrela mais brilhante no céu noturno, localizada na constelação de Cão Maior. Pode ser vista a partir de qualquer ponto na Terra.
Dista 8,57 anos-luz da Terra, sendo por isso uma das estrelas mais próximas do nosso planeta.
Sírius é uma estrela binária de duas estrelas brancas orbitando entre si a uma distância de 20 unidades astronômicas, aproximadamente a distância entre o Sol e Urano, com um período de 50,1 anos.
A estrela mais brilhante denominada Sírius A é uma estrela de sequência principal do tipo espectral A1V. Sua companheira, Sírius B, é uma estrela que já saiu da sequência principal e se tornou uma anã branca. Atualmente é dez mil vezes menos luminosa no espectro visível. Anteriormente Sírius B era a mais massiva das duas estrelas. A idade do sistema foi estimada em 230 milhões de anos. Acredita-se que no início de sua formação, o sistema tinha duas estrelas azuis orbitando uma a outra em uma órbita elíptica de 9,1 anos.


O sistema emite uma quantidade maior que a esperada de radiação infravermelha, medido pelo observatório espacial IRAS. Isto pode ser uma indicação de poeira no sistema, o que é não é usual para uma estrela binária.


Uma imagem do observatório de raios-X Chandra mostra Sírius B brilhando mais que sua companheira pois é uma fonte mais intensa de raios-X.

ESTRELA ARCTURUS

“Arcturus”, na Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Arcturo)


Resumo:
Arcturo (α Boo, α Boötis, Alpha Boötis), também conhecida como Arturo ou Arcturus, é a estrela mais brilhante da constelação do Boieiro.

É a quarta estrela mais brilhante no céu noturno.

O diâmetro de Arcturus é aproximadamente 30 vezes maior que o do Sol e 1733 vezes maior do que o planeta Terra.


Antigamente era classificada como uma gigante vermelha, mas na reclassificação proposta pela NASA é considerada atualmente como uma média alaranjada.


Está cerca de 33 anos-luz do sistema solar e é uma das estrelas mais brilhantes no céu terrestre.

ESTRELA VEGA

“Vega”, na Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Vega_(estrela))

Resumo:


Alpha Lyrae (α Lyr), mais conhecida como Vega, é a estrela mais brilhante da constelação de Lira e a 5ª estrela mais brilhante do céu noturno, separada do nosso sistema solar por 25 anos-luz, o que a torna uma das estrelas mais próximas do nosso Sol.


Considerada uma estrela nova, com pouco mais de 1/10 do tempo do nosso Sol, tem 2,5 vezes a massa, 3 vezes o diâmetro e cinquenta vezes mais intensidade de brilho que nossa estrela.


O famoso cientista e escritor Carl Sagan, ao escrever um de seus maiores sucessos literários, “Contato” - estrelado no cinema pela atriz Jodie Foster – coloca Vega como ponto de encontro de uma civilização infinitamente mais adiantada que a nossa.





Fig. 5 – Imagem do céu obtida por simulação no software Stellarium. Ilustração dos pontos principais e distâncias ao Sol.


Nesta figura, referente à época atual, podemos observar que o Sol está praticamente no alinhamento entre Alcyone e o Centro da Galáxia.

ELF
Postar um comentário